Uma
prática criminosa, mas ainda comum no Brasil, é a falsificação de roupas e
acessórios, em especial de marcas famosas.

Réplicas de marcas famosas: uma reflexão sobre o assunto

Uma prática criminosa, mas ainda comum no Brasil, é a falsificação de roupas e acessórios, em especial de marcas famosas.

Você decide vender roupas e cai na tentação de revender as famosas réplicas. E ai, vender ou não roupas falsificadas? É crime? Meus clientes irão gostar? Como fica a minha imagem vendendo esses produtos?

Este artigo é para fazer uma reflexão sobre esse assunto dando a liberdade que você mesma responda a essas perguntas no final desta leitura.

Roupas Falsificadas

Na década de 1980, a falsificação de marcas foi definida como a prática fraudulenta de afixar uma denominação comercial ao produto. É uma reprodução do original, mas sem ser idêntica.

A falsificação, se assimila pelo motivo de ser um crime contra o autor, mas também contra o consumidor, pois o produto apresenta características físicas e embalagens idênticas à original, todavia o produto é falso

A principal motivação para a compra desses itens é o preço mais baixo.

Devemos expor neste artigo que existem dois tipos diferentes de transação: uma que engana o consumidor e outra que não o ilude, pois nesta, o consumidor está ciente da falsificação quando compra o produto.

Qual é a sua situação? Comprar ou não as famosas réplicas?


Leia Também:

-> Deseja revender roupas importadas? Confira os 6 sites que vendem roupas no atacado

-> 10 Dicas para Começar a Vender Roupas com Pouco Dinheiro

-> Use e abuse do marketing para vender mais


O que diz a lei

A legislação que incide nesses casos é a Lei nº 9.279/96, que regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial, complementada pelo Código Penal e pelo Código de Processo Penal. As punições vão desde a busca e apreensão dos produtos falsificados até a prisão dos responsáveis por produzir e/ou comercializar as mercadorias irregulares.

Mesmo com a lei no Brasil a pirataria e a falsificação de produtos ainda são muito presentes, mesmo enquanto vive escândalos de corrupção política e empresarial. As marcas de luxo também são muito visadas pelos falsificadores.

Mas não é só o Brasil que sofre com a indústria da falsificação. Diversos países passam por isso, representando um problema que atinge a economia. O continente asiático, por exemplo, também vive intensamente essa onda de falsificação de bens e vestuário.

As empresas tentam dificultar a cópia dos seus produtos por meio de ferramentas de marketing e jurídicas. Os governos tentam coibir este comércio, mas também não conseguem atenuar o problema.


“Os produtos têm baixa qualidade, prejudicam a economia e, na maioria das vezes, são feitos por pessoas que trabalham em condições análogas à escravidão”

Para muitos consumidores, o fato de poder comprar um produto que originalmente possui um preço elevado por um preço mais baixo, pode ser uma vantagem, como se ele estivesse “se dando bem”.

Porém, muitos outros consumidores veem os produtos falsificados como produtos bons e produtos ruins (além dos produtos roubados e originais).

Lacoste, Louis Vuitton, Morena Rosa e Carmim estão entre as maiores vítimas de pirataria.


“Os consumidores de produtos falsificados, além de alimentarem uma atividade ilegal, compram uma ilusão”


Cuidado!

As maiores vítimas de pirataria no segmento de vestuário no país têm tomado medidas para defender seus interesses, contratando advogados competentes para acabar com a falsificação de suas marcas.


Depois de todas essa informações decida você se vai ou não revender réplicas de marcas famosas.


  • Compartilhar:

Categoria: , Négocios, Roupas Importadas

Data: 18/03/2019 02:50:24

Autor: Sandra Santos